segunda-feira, 25 de julho de 2016

Das [im]precisões da madrugada II

Surpreendente, não mais que convincente contexto.
Elemento da estrutura de um passado, que transborda os desacordos do presente.
Oh, que gente inconsequente, de deixar de realizar o louvor do sentimento.
Cobrindo um corpo em prazeres animais, numa luta entre o sentir e o que já não se sente mais, por compreender, mas não aprender, que o que aqui flameja e incendeia, lá se apaga num ranger de dentes.
Cale aí dentro deste coração idiota, que se acostumou a viver uma especie de chacota, sob ilusões que preenchem os universos do Ocidente.