terça-feira, 4 de agosto de 2015

Inverso de um possível inverno do sentir

Não sei arquitetar uma ideia de estabilidade e ao mesmo tempo expectativas, embora pareça contraditório, uma coisa anula a outra em ordem inversa. Estou pronta para viver intensidades, entrega e verdade, sabendo que verdade não passa de um ponto de vista.
Não tenho intenção de confundir ou conduzir alma alguma, sigo fluindo e dançando a música que me agradar, não tenho medo de me expor, não falo de multidões, quero dizer que não tenho medo de me expor aos que escolho. 
Há tanta mudança anunciada dentro de mim...
Hoje os livros não me levaram a lugar algum e não me sinto frustrada, percebi que alguns merecem descanso. Ao mesmo tempo há livros intactos esperando para serem lidos e "navegados", no entanto, minha alma velha e teimosa insiste em reler páginas que já fizeram algum sentido, mas que hoje são apenas parte da história. Com certa coragem peguei todas as obras, guardei num baú escondido e lancei a chave no infinito...tenho a minha disposição um bloco de folhas em branco e alguns títulos bem peculiares, é hora de conhecer verdades que ainda são desconhecidas para mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pluralize.