quinta-feira, 5 de junho de 2014

Elas

Estou atrasada e nasci amanhã.
"Bésame, bésame mucho...
Coloquei o pião para girar e deixei as coisas acontecerem. Três ou cinco possibilidades surgiram e eu aceitei aquela que me iludia mais.
Ela caminhava levemente pelos meus pensamentos e no carro eu escutava o mais famoso bolero. Sentia aquele frio na barriga e uma sensação de alvoroço, talvez eu tivesse medo do que poderia acontecer ou do que eu me tornaria, mas não resisti e concentrei meu pensamento na dança que havia quando ela vinha.


A Outra já não fervilhava em mim, era morna, doce e encantada. Eu podia sentir seu gosto só em olhar pra ela, existia um certo vibrar quando ela aparecia, mas era só um vibrar e inquietação era tudo que eu precisava. 

Aquela, ah, Aquela me maltratava, tirava meu sono, minha sanidade, minha decência. Uma vez cheguei em casa e ela me esperava com gosto de whisky e cigarro na boca, com cheiro de desejo e uma ardente urgência que maltratava minha forma. Não esperava todos os pecados de uma vez, mas não pude resistir, minha natureza obriga o que eu devo adiar.

Quem era possível? Quem eu permitiria

Nenhuma delas somente e todas se somente pudesse ser.

Nasci hoje, te encontro ontem.

"Bésame, bésame mucho..."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pluralize.