sábado, 11 de janeiro de 2014

Recortes da Caixa de Pandora V

Nada de pouco, me venha inteiro e entregue. Meu amor nunca é de menos, por isso minhas relações só ganham 'nome' quando de fato estou apaixonada, mais que isso, quando eu posso dar o que transborda em mim. Se não posso transbordar emocionalmente te alimento com meu corpo e só. 
E não me julgue por ser assim quase explicita, desejo tem nome e ação e "eu nunca fui razoável com os meus próprios desejos..." muito menos com meu amor, por isso repito: precisa haver merecimento.
E a gente só ama quem admira, ao menos eu sou assim, já desejo é outra coisa, é outro estado, embora no meu caso não seja ligado a um corpo, mas ao conjunto das ideias aliadas ao corpo do ser. 
Eu sinto com a alma e meu corpo é só o instrumento do meu prazer. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pluralize.