quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Liberte-me

Liberte-me do seu passado.
Liberte-me do outono e das folhas que você guardava a me esperar.
Liberte-me do samba, do frevo e do seu gingado.
Liberte-me das suas fases.
Liberte-me da prisão que você criou.
Liberte-me do seu constrangimento, não me culpe pelo que você não pode submeter-se.
Liberte-me da sua culpa e não esqueça que você administra sua consciência.
Liberte-me da sua ética e não me confunda com o que é imoral.
Liberte-me da sua música e o que ela me representa.
Liberte-me da sua vaidade e me deixe ser.
Liberte-me dos seus horários e normas.
Liberte-me da sua incompreensão, pois "...se eu sou incompreensível, meu Deus é mais...".
Liberte-me do seu julgamento, a vida muitas vezes é injusta.
Liberte-me da sua arrogância.
Liberte-me da sua inocência.
Liberte-me dos pormenores.
Liberte-me do filme de terça-feira.
Liberte-me da sua roupa e seu modo de expressar-se.
Liberte-me da sua reflexão.
Liberte-me da sua lágrima.
Liberte-me para que você possa me deixar ir, se deixar ir e assim nos libertar.

2 comentários:

  1. A liberdade de uma sociedade menos arrogante, viver sem preconceitos, sem mediocridade, livre igual a borboleta que vive intensamente mesmo com poucos meses de vida. Liberdade fundamentada de um querer maior, de um querer abrangente.
    Liberte-me da sua caixa de impressões da qual não sou eu.

    ResponderExcluir

Pluralize.