quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Recortes da Caixa de Pandora II

Sinto-me como uma folha rabiscada por uma criança. 
O rabisco pode até ser interpretado, mas só a criança sabe o que sentiu no momento em que rabiscou a folha. E mesmo que não compreendesse ou tivesse consciência de que aquilo poderia ser um meio de se expressar, quando rabiscou, se entregou. 
Sou a entrega inconsciente da criança ao rabiscar a folha, sou o rabisco da criança.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pluralize.