quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Crisálida

...cansada das minhas desgastadas palavras... "Elas que já tiveram vida própria, submetem-se às velhas narrativas e influências; imitam, plagiam e só. Relatam as mesmas paisagens, dores, alegrias e saudades. Fazem os mesmos elogios tão acostumadas e mecânicas que estão."

Novos cenários ajudarão, mas a verdadeira renovação é que fará a diferença, talvez seja necessária uma transformação, uma desestruturada, um revés ou grande virada de boa sorte.

Guardar as boas influências numa caixa, queimar as más influências.

Conhecer novos grafismos, novas gírias, novos tons.

Agradecer ao nascente, clandestino, inevitável.

Esquecer os vícios de linguagem que já parecem fazer parte de si, mas na verdade são de outrem.

Escolher uma palavra representativa para tatuar na alma.

Escolher um dialeto próprio, onde poucos possam dialogar, isso não significa excluir, mas colocar na "caixa" os especiais.

Dar novo sabor ao prazer de ser e permanecer.

Dar novas notas e esperar a hora certa de sua metamorfose.




Um comentário:

Pluralize.