quarta-feira, 30 de junho de 2010

Self


Basta!

Exclama a individualidade humana.

Sou feita de blocos concretos, nomeações paralelas, livre, obscura, variante, egípcia.

A linha de observação imposta pelo que é permitido bloqueia minha dimensão e entro em transe através das linhas que me permitem te ver...

Sou um grito abafado, pela noite, pela vida, pela morte, pela liberdade.

Decoro as casas infames da mentira e do pecado.

Sou isca no mar da luxuria.

Não pragmatizo a vida, não me rendo a vaidades.

A verdade me finaliza, mas a verdade da qual falo é feita de toda cadeia de mentira que 
transforma o que nos aprisiona.

As prisões sociais distorcem e nos obrigam a compactuar com o jogo sujo do que se pretende ser.

E viva as identidades!

Criam-se valores, conceitos, novas morais e no entanto vazio.

A "nova" sociedade vive num mundo vazio de imediatismo e ansiedade

As novas fórmulas de felicidade saem caro e custa crer no que de fato é real ou apenas conveniência.

Onde ficam as opções, a tão falada liberdade?

Onde fica a verdadeira consciência e vivência quando se fala das relações humanas?

Felicidade é a nomenclatura que o mundo capitalista criou para poder manipular as massas.





Um comentário:

  1. "Sou um grito abafado, pela noite, pela vida, pela morte, pela liberdade."

    Sem palavras. Perfeito.

    ResponderExcluir

Pluralize.